baixos verticais dicarmo

 

O Baixo Elétrico Vertical ou Electric Upright Bass (EUB) é um instrumento que alia o melhor do elétrico com o melhor do acústico. A escala 3/4, a curvatura do espelho, o encordoamento e a captação piezo dão ao Vertical uma sonoridade e uma pegada muito próximas da do contrabaixo acústico, tanto em pizzicato como no arco; sua reduzida dimensão faz dele um instrumento tão fácil de transportar quanto um baixo elétrico. O instrumento vem com um espigão para ajuste de altura, além de um apoio abdominal, que simula uma distância entre instrumento e instrumentista similar à de um contrabaixo acústico.

| DUO |

  • Escala : 3/4 ( 1050 mm).
  • Corpo: cedro rosa.
  • Tampo: maple, filetado.
  • Espelho: pau ferro ou ipê.
  • Cavalete: maple.
  • Espigão: aço inoxidável com ajuste de altura e inclinação.
  • Apoio abdominal: cedro rosa.
  • Marcação: 3°, 5°, 7°, 9° e  12° casas.
  • Sistema de ajuste de ação das cordas.
  • Tarraxas: Gotoh GB70B.
  • Encordoamento: D’addario Prelude.
  • Pickup: DiCarmo Piezofone.
  • GigBag.
  • Peso: 7 Kg.

| S T U D I O |

  • Escala : 3/4 ( 1050 mm).
  • Corpo: cedro rosa.
  • Tampo: imbuia.
  • Espelho: muirapiranga.
  • Cavalete: maple.
  • Espigão: aço inoxidável com ajuste de altura e inclinação.
  • Apoio abdominal: cedro rosa.
  • Marcação: 3°, 5°, 7°, 9° e  12° casas.
  • Sistema de ajuste de ação das cordas.
  • Tarraxas: Gotoh GB70B.
  • Encordoamento: Thomastik Spirocore.
  • Pickup: DiCarmo Piezofone.
  • GigBag.
  • Peso: 7 Kg.

| M Ú S I C O S |

| L U T H I E R |

Comecei a construir baixos elétricos verticais no fim dos anos 90,  apostando na possibilidade desse instrumento reunir o melhor do baixo elétrico e do double bass, sobretudo em termos de design, ergonomia e sistema de captação. Paralelamente ao trabalho como luthier, fiz uma extensa pesquisa acadêmica sobre instrumentos musicais, e defendi uma tese de doutorado sobre o assunto na USP, em 2007. Morei na Europa entre 2010 e 2012, quando pude me aperfeiçoar, conhecer diversos luthiers, ateliers e museus de instrumentos musicais. Desde 2013, sou professor adjunto do Curso Superior de Luteria, da Universidade Federal do Paraná, onde dou aulas de construção e entalhe de instrumentos elétricos.

piezofone

 

PIEZOFONE é um captador piezoelétrico para Contrabaixo Acústico. É encapsulado em maple, a mesma madeira utilizada na construção do cavalete. Essa técnica de encapsulamento proporciona um acoplamento otimizado entre o cavalete e o piezo, resultando numa melhor resposta de frequência, com equilíbrio de graves, médios e agudos. O PIEZOFONE também se diferencia da maioria dos piezos para contrabaixo – encapsulados em resina ou metal – pois ele tem uma montagem típica de microfone. O elemento cerâmico que capta a vibração do cavalete não é “travado” internamente, o que resulta num timbre claro, bem definido e natural, sem os inconvenientes da realimentação que caraterizam um microfone. Assim, o PIEZOFONE é um captador híbrido, com características de piezo e de microfone.

O Piezofone é construído conforme as seguintes especificações:

  • Elemento ativo: diafragma cerâmico de PZT.
  • Encapsulamento: maple.
  • Dimensões: 30 x 16 x 3 mm.
  • Saída: fêmea Switchcraft Fishmann J10.
  • Isolamento: dupla camada de cobre.
  • Aterramento: desnecessário (e não recomendado!).
  • Fixação: Suporte de madeira de lei entre as cordas A e D.
  • Instalação: sob a asa do cavalete no lado das cordas graves (para detalhes ver FAQ)

| M Ú S I C O S |

PIEZOFONE foi projetado e desenvolvido no Atelier de Lutheria DiCarmo. Diversos contrabaixistas, alguns deles com mais de 30 anos de vida profissional, testaram o captador. Veja alguns de seus comentários e sugestões.

“Ultrapassou minhas expectativas. O pickup não admite nenhuma carga de grave e agudo. Quanto mais flat melhor, o equilíbrio perfeito. Posso mandar pau que ele mostra o som!” (Boldrini)

“A sensação que tenho é que o som parece bastante com o timbre captado com o microfone e isso no baixo acústico é super importante para as gravações. O que mais me surpreendeu nele foi o som de arco que é muito bonito e claro. Não senti a ponta de médios e agudos que sempre aparecem nos piezos.” (Adriano Giffoni)

“Estou bem feliz com o som do pickup…. Deu conta super bem, tanto ao vivo como nas gravações. Valeu!” (Rogério Botter Maio)

“Fiz uns testes de gravação com o Pro Tools e uma placa M-Audio. Fiquei surpreso porque liguei direto na placa de som e soou muito bem. Achei muito legal mesmo.”(Ximba Uchyama)

Gostei muito. Usei em dois sistemas diferentes; gostei do som nos dois. Usei com arco também e ficou bem legal. Achei bem próximo o timbre dele com o do Full Circle.”(Marinho Andreotti)

A qualidade técnica dele é excelente: sem ruído, bem definido em todas as regiões de agudo, médio e grave . Porém no grave senti uma pequena falta de mais corpo. O timbre é próximo ao do Full Circle, encorpado, com boa definição. (Jorge Helder)

O captador sem dúvida é bom.  O som é brilhante mas funciona bem dentro do contexto. Recomendo totalmente.”(Ronaldo Diamante)

Fiz um teste comparando com o Full Circle, monitorando com fones, e tive a grata surpresa de ouvir uma grande semelhança, tanto com arco quanto com pizzicato. Parabéns, Di Carmo!” (Tony Botelho)

“O som é muito bom!!! Tendo o Full Circle montado consigo fazer uma comparação directa. O som do Piezofone é ligeiramente mais agudo que o Full Circle o que me agrada bastante, pois acho que especialmente tocando com banda permite uma percepção melhor e mais definida do som do contrabaixo!” (Massimo Cavalli)

“Realmente superou minhas expectativas. Um bom ganho, definido e responde bem aos ajustes do ampli, que no meu caso é um GK MB150. Tudo que precisamos. Meus parabéns pelo belo trabalho. Sim, agora temos um bom captador nacional!!!” (Thiago Alves)

“DiCarmo, coloquei o teu captador no meu baixo lá no Mancini e funcionou muito bem. O Thiago Alves esteve lá ontem , tocou e ficou espantado com a qualidade do som. O captador é ótimo! Parabéns!” (Lito Robledo)

“De cara achei interessante pois perto do pickup que uso tem o dobro do ganho. Timbristicamente tive dificuldade de acertar o agudo (já que testei com o EQ flat). Mas isso pode ser uma questão de ajustar EQ’s.”(Sidiel Vieira)

| Audio & Vídeo |

Thiago Alves usando um  PIEZOFONE plugado diretamente  num cubo Gallien-Krueger MB150S, sem pré-amplificação.

 

Sidiel Vieira usando um PIEZOFONE plugado diretamente num Gallien-Krueger MB200, sem pré-amplificação. A gravação foi feita com um smartphone próximo ao falante do GK.

 

FelixBaigon usando um PIEZOFONE plugado diretamente num cabeçote Behringer com duas caixas Ampeg.

 

| C O M O  C O M P R A R |

  • Pagamento à vista (transferência ou depósito bancário): R$ 490,00 (sem frete)
    • entrar em contato via whatsapp 41 988233696
  • Pagamento em até 12 x com cartão via Mercado Livre: R$ 490,00 (com frete)

| C O N T A T O |

Atelier de Lutheria DiCarmo
Estrada das Canavieiras, s/nº
Morretes – PR
(41) 9 8823 3696